8. out, 2017

Texto

VIOLENCIA PSICOLÓGICA

Diferentemente do que se imagina, não é preciso ser agredida fisicamente para estar numa relação violenta. Algumas palavras e atitudes podem ferir a auto-estima de uma mulher e isso tem nome: violência psicológica. Esta é a forma mais subjectiva e, por isso, mais difícil de identificar.

Mulheres com medo

Mulher com medo.

 

Para romper esse silêncio, desde 1981 o movimento feminista comemora em 25 de Novembro, o Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher.

Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) , uma em cada três mulheres é vítima de violência no mundo. E esta violência, de tão latente, chega a ser classificada entre: física, sexual, moral e psicológica.

Por ser subjectiva e, por isso, de difícil identificação, a violência psicológica, na maioria dos casos, é negligenciada até por quem sofre – por não conseguir perceber que ela vem mascarada pelo ciúmes, controle, humilhações, ironias e ofensas.

Segundo definição da OMS ela é entendida como:

 

Qualquer conduta que cause à mulher dano emocional e diminuição da auto-estima ou que  prejudique e perturbe o seu  pleno desenvolvimento ou que vise degradar ou controlar as suas acções, comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação.

 

“Numa briga de casal, o agressor,  normalmente,  usa essa táctica para fazer com que a parceira se sinta encurralada  e insegura, sem oportunidade  de reagir. Não existe respeito”, explica Maria Luiza Bustamante, chefe do Departamento de Psicologia Clínica da Universidade Estadual do Rio de Janeiro .

Este tipo de violência normalmente precede a agressão física que, uma vez praticada e tolerada, pode  tornar-se constante. Na maioria das vezes, o receio de assumir que o casamento ou o namoro não está a funcionar,  ainda é um motivo que leva as mulheres a  submeterem-se  à violência – entre todos os tipos e não apenas a psicológica.

 

Como identificar?

Dificilmente a vítima procura ajuda externa nos casos de violência psicológica. A mulher tende a aceitar e justificar as atitudes do agressor, protelando a exposição de suas angústias até que uma situação de violência física, muitas vezes grave, ocorra.

A violência psicológica acontece quando o homem …

 

#1. Quer determinar a forma como ela se veste, pensa, come ou se expressa;

#2. Critica qualquer coisa que ela faça; tudo passa a ser mau ou errado;

#3. Desqualifica as relações afectivas dela: ou seja, amigos ou família “não prestam”;

#4. Ofende-a chamando-lhe   “rameira”, “inútil”, “atrasada mental”, “vaca" ;

#5. Expõe-na  a situações humilhantes em público;

#6. Critica o corpo dela de forma ofensiva, e considera isso como uma “brincadeira”...

 

…entre outras formas de violência que são subjectivas e que, muitas vezes, passam despercebidas no dia a dia.

 

 

Imagem de capa: tudoparahomens.com.br/5-principais-medos-das-mulheres-em-relacionamentos

 

FONTE : Brasil Post

 

Mandy MartinsPereira escreve de acordo com a antiga ortografia